O Jornal

Petrobras aumenta 8,87% o diesel

Preço do litro no atacado deve subir em torno de R$ 0,40 e impacta com prejuízos em diversos setores da economia

Petrobras aumenta 8,87% o diesel

O setor de transportes e consequentemente toda a cadeia de alimentos do Brasil, sofre mais um forte impacto nesta semana. Isto porque a Petrobras anunciou na segunda-feira, dia nove, mais um aumento de 8,87% no preço de óleo diesel. A atitude da estatal atinge diretamente a elevação do preço de fretes, prejuízos dos transportadores com altos custos, aumento do custo dos agricultores para produção de alimentos e por fim, preços mais caros em mercados e nos diversos setores da economia.

De acordo com a Petrobrás, o valor de reajuste de 8,87% no preço do diesel foi para as distribuidoras, mas o litro do combustível no atacado passará de R$ 4,51 para R$ 4,91, um aumento de R$ 0,40 que passou a valer desde ontem, terça-feira, dia 10. A estatal ainda divulgou que, com a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel passará a custar para a distribuidora R$ 4,42 por litro, em vez dos atuais R$ 4,06, uma alta de R$ 0,36.

Em nota a Petrobrás justifica o aumento informando que o balanço global de diesel está sendo impactado, nesse momento, por uma redução da oferta frente à demanda. “Os estoques globais estão reduzidos e abaixo das mínimas sazonais dos últimos cinco anos nas principais regiões supridoras. Esse desequilíbrio resultou na elevação dos preços de diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo. A diferença entre o preço do diesel e o preço do petróleo nunca esteve tão alta”, diz a empresa.

A nota ainda destaca que a refinação do produto por outras empresas, também influencia no valor de venda para as distribuidoras. “Dessa forma, cerca de 30% do consumo brasileiro de diesel é atendido por outros refinadores ou importadores. Isso significa que o equilíbrio de preços com o mercado é condição necessária para o adequado suprimento de toda a demanda, de forma natural, por muitos fornecedores que asseguram o abastecimento adequado”.

Lucros altíssimos

A própria Petrobras informou no dia cinco de maio que registrou lucro líquido de R$ 44,561 bilhões no primeiro trimestre de 2022. Isto significa que o resultado foi 3.718,4% maior do que o mesmo período do ano passado, quando a estatal reportou ganhos de R$ 1,167 bilhão.
Este lucro é baseado em fatores como a alta do preço do petróleo, aumento da produção e valorização do real em relação ao dólar. Com a guerra entre Ucrânia e Rússia, os preços do petróleo atingiram patamares recordes neste início de ano - o barril do Brent chegou a rondar a casa dos US$ 140.

Mesmo com todos esses números positivos, a presidência da estatal diz que os aumentos dos combustíveis continuarão para manter a saúde financeira da empresa.

Por Odair José Paz/OJ

Veja Também

Confira as matérias que foram destaque